Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jornal Metro

O maior jornal diário do mundo

Jornal Metro

O maior jornal diário do mundo

A selecção do METRO

 

 

 

Em cada amante de futebol há um treinador de bancada. E aqui na redacção do METRO não se foge à regra. Conhecidos os 24 convocados (vai ficar um de fora antes da partida para Magaliesburg) de Carlos Queiroz para o Campeonato do Mundo de Futebol na África do Sul, o METRO apresenta uma proposta para o "11" base que julgamos ser o mais indicado para chegarmos até ao "caneco".

 

1 - Eduardo

2 - Paulo Ferreira

3 - Bruno Alves

4 - Ricardo Carvalho

5 - Fábio Coentrão

6 - Pedro Mendes

7 - Raul Meireles

8 - Deco

9 - Cristiano Ronaldo

10 - Simão

11 - Liedson

 

Os nossos suplentes:

12 - Beto

13 - Daniel Fernandes

14 - Miguel

15 - Rolando

16 - Ricardo Costa

17 - Duda

18 - Pepe

19 - Zé Castro

20 - Tiago

21 - Miguel Veloso

22 - Danny

23 - Hugo Almeida

24 - Nani

 

O que lhe parece? Concorda com a nossa selecção? E com a de Carlos Queirós? Quem está a mais? E quem falta?

Dê-nos a sua opinião e faça a sua selecção!

Adeptos da Lazio viram "nerazzurri" durante 90 minutos

Nas vésperas de um Lazio - Inter, os adeptos da equipa de Roma, com cachecol ao pescoço, dizem que vão torcer pelo adversário. É por causa de Mourinho? Não, é por causa da Roma, que disputa o campeonato com a equipa de Milão. "Eu sou da Lazio, mas hoje vou apoiar o Inter", diz uma velhinha de cachecol azul bebé, as cores da Lazio, ao pescoço...

Uma pulga à solta

AFP PHOTO / Adrian Dennis

 

AFP PHOTO/Lluis Gene

 

AFP PHOTO / Adrian Dennis

 

Lionel Messi, um terror. Um espectáculo. A pulga argentina marcou os quatro golos do Barcelona e despachou o Arsenal. É impressão minha ou estamos a assistir "in loco" a um importante pedaço da história do futebol?

 

<embed src="http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/Laoavp4KLAgj3Z9rITDo/mov/1" type="application/x-shockwave-flash" width="410" height="281" allowFullScreen="true"></embed>

Futebol em feminino

Helena Costa é uma treinadora portuguesa de sucesso. Trabalha há mais de uma década no Benfica, é olheira do Celtic e pode estar de saída, rumo ao Médio Oriente.

 

Teve uma proposta para ir treinar a selecção feminina do Qatar. Já decidiu se vai?
Não. É um desafio aliciante profissionalmente, mas há muita coisa a ponderar, como a vida familiar. E se não me adaptar tenho de ter a minha vida profissional garantida por cá e é isto que estou a tratar. Tenho de dar uma resposta este mês.
 

Treina camadas jovens do Benfica há 12 épocas e é olheira do futebol profissional do Celtic, da Escócia. É esta a sua profissão?
Infelizmente, o futebol não me permite pensar como profissional em Portugal. Sou professora de Educação Física, em Alhandra.
 

Prefere treinar seniores ou camadas jovens?
Eu quero e gosto é de treinar. Gosto muito de tudo o que fiz até agora. Estive sempre em projectos que me aliciaram muito. Não tenho preferência.

 

E gosta mais de trabalhar com homens ou mulheres?
É completamente diferente. Seja a postura no treino ou a maneira de ser. Elas, por exemplo, têm mais curiosidade táctica, fruto de não terem tido formação como é hábito nos homens. Questionam mais, mas por quererem saber mais.
 

Sente ou sentiu discriminação por estar num desporto mais conotado com os homens?
Sim, não vou negar. Senti e a discriminação vai continuar a existir nos tempos mais próximos.

 

Quando surgiu a sua paixão pelo futebol?
Desde que me lembro, a bola foi sempre o meu brinquedo preferido. Nunca gostei de bonecas. E o meu pai nunca acompanhou o futebol, não
teve qualquer influência.

 

B.I.
Helena Costa cresceu em Alhandra e tem 31 anos
Já estagiou com José Mourinho, László Bölöni e Jesualdo Ferreira
No currículo da treinadora de nível III estão, por exemplo, a equipa sénior masculina do Cheleirense ou as formações femininas,
do 1º de Dezembro e do Odivelas.

Wayne Bridge deixou Terry de mão estendida (vídeo)

 Manchester City e Chelsea defrontaram-se hoje, encontro que, além da vitória dos homens de Manchester por 4-2, ficou marcado pelo primeiro encontro entre os antigos companheiros de equipa e de Selecção Wayne Bridge e John Terry.

 

Para os menos afoitos com as lides futebolísticas, recorde-se que há poucas semanas foi denunciado pela imprensa um "affair" extra-conjugal entre Terry e a ex-namorada de Bridge. A situação fez com que o central do Chelsea perdesse a braçadeira de capitão da selecção inglesa. E Bridge, para não criar mais problemas no seio da selecção, renunciou à participação no Mundial de futebol.

 

Hoje, quando se encontraram no campo, foi este o resultado:

 

 

Transferências mais caras da reabertura de mercado

O sportinguista Sinama-Pongolle e o ex-portista Bolatti estão entre as transações mais caras da reabertura do mercado do futebol europeu que fechou segunda-feira à meia noite. Eis a lista dos dez primeiros:  


Adam Johnson do Middlesbrough para o Manchester City, por 8,1 milhões de euros.

 

Eduardo Salvio do Lanús para o Atlético Madrid, por 8,1.

   
Dejan Lovren do Dínamo Zagreb para o Lyon, por 8,1.

 

Adem Ljajic do Partizan para a Fiorentina, por 7,1.

 

Sinama-Pongolle do At.Madrid para o Sporting, por 6,5.

 

Younes Kaboul do Portsmouth para o Tottenham, por 5,7. 

 

McDonald Mariga do Parma para o Inter, por 5,6. 

 

Revér do Grêmio Porto Alegre para Wolfsburgo, por 5,1.

 


Mario Bolatti do FC Porto para a Fiorentina, por 4,8. 

 

Andrea Dossena do Liverpool para o Nápoles, por 4,3.